20 Orgasmos numa cápsula

Hoje falo de uma coisa simples, fácil e que não tem mistério nenhum. Basta comprar (ou ler no salão de cabeleireiro, ou na sala de espera do dentista) uma ou duas revistas destinadas ao público feminino e elas explicam tudinho sobre o assunto. Todos os números trazem pelo menos dois artigos cujos títulos são invariavelmente “Como atingir orgasmos mais intensos”; ”Onde e quando atingir o orgasmo mais fantástico da sua vida”; “O Orgasmo (às vezes escrevem clímax, é mais erudito, mais incrível da minha vida “– geralmente estes são relatos de experiências vividas de leitoras que se nota que são “mesmo reais”, ou então, títulos mais subtis, tal como “The amazing big O”. Este último deixa as minhas alunas com mais dificuldades a inglês um bocadinho à nora, porque têm de ir ao Google tradutor.

Hesitei um pouco em escrever sobre este tema, mas não resisti. Como não consigo estar muito tempo parada, transformei-me numa mulher de mil profissões e há alguns anos (poucos) fui consultora de uma empresa de aconselhamento sobre saúde sexual  feminina. Foi uma das actividades da minha vida que me apaixonou e me fez procurar e estudar este mundo maravilhoso que é a sexualidade e intimidade feminina. Ouvi e falei com dezenas de mulheres, ouvi as suas histórias, ri e chorei com elas e cresci muito como mulher. Mas adiante que um dia contarei isso tudo.

Hoje fala-se do BIG O – Orgasmo feminino.

 A história que vou contar é esta – Estava eu no salão da manicura, (lá por ser Feminista, arranjo as unhas), estão a ver como se desfazem estereótipos? E como as meninas profissionais das unhas sabem desta minha competência, vieram mostrar-me um anúncio que garantia 20 orgasmos femininos numa só cápsula! Ó Dona Tereza (às vezes sou professora, outras Dona, ouras menina, é conforme os papeis que desempenhamos.), já viu isto? Será que a cápsula é para tomar? Ou põe-se no sitio? Não se percebe muito bem, pois não?

Vi o anúncio. Não vou dizer a marca, que não me pagam para fazer publicidade e se me lessem eram capazes de me pagar para me calar. Mas a coisa começava assim:

– “2 em cada 3 mulheres não tem um orgasmo durante uma relação sexual” Gargalhada tal, que as unhas esborrataram logo! Ó criaturas! Onde é que eles inventaram isso? Se isso fosse verdade, vivíamos todas no paraíso. E explico às meninas – Essa estatística é falsa. Muitas, mas muitas mais mulheres não têm orgasmos durante o acto sexual. Nem durante, nem antes, nem depois. Há quem nunca tenha tido, há quem nem saiba o que é, nem o que se sente.

Ambas confirmaram que conheciam casos como eu explicava. Verdade. E se as mulheres que estão a ler isto nunca experienciaram um orgasmo, ou poucos, ou alguns, ou só um em toda a sua vida, não fiquem aflitas, ou pensem que não são normais. São normais, sim senhoras!


Experienciar um orgasmo, que é um potenciar da excitação sexual ao máximo (por isso se chama clímax) é muito bom, pode ter vários níveis de prazer, não é igual para todas as mulheres, mas não é o fim do mundo. Há mil formas de amar, de ter prazer, de experimentar o carinho, a ternura, o contacto com a pele com a partilha de intimidade com o/a parceiro/a amado/a. O BIG O não é a demanda do Santo Graal.

Este anúncio oferece apenas isto – um gel que se aplica no clitóris (isso sim, todas as mulheres devem saber onde está o seu, posso explicar isso noutro dia) e actua como vasodilatador quando se aplica de forma tópica, estimulando a circulação sanguínea, e como tal, ao estimular provoca uma sensação intensa (apenas sensação) visto que o clitóris é uma das partes mais sensíveis do corpo feminino, pois possui 8.000 terminações nervosas e é bem maior do que pensamos, pois estende-se internamente ao longo da abertura vaginal até ao períneo. (também uma zona nobre do corpo quer da Mulher, quer do Homem, lá explicaremos um dia). 

Agora, atenção – este produto, ou outros de outras marcas que vos oferecem o “aumento do desejo sexual”, na realidade só aumentam a sensação numa zona do corpo sensível. O desejo sexual, é outra coisa.


O desejo depende do bem-estar físico e emocional, depende da relação que se estabelece com o/a parceiro/a, depende do momento do dia, depende do cansaço depois de um dia de trabalho, depende do carinho, depende das emoções, depende do amor, depende essencialmente da comunicação que estabelecerem convosco, com o vosso corpo e com o/a parceiro /a. 

O desejo cria-se dia a dia com a partilha de pequenas coisas que constroem a intimidade de um casal. 

Como um sorriso e um abraço longo pela manhã, e um desejo de um até logo..."


Comentários